Descubra o que é a verdadeira desintoxicação do organismo – e surpreenda-se com seus efeitos!

Tempo de leitura: 11 minutos

Você provavelmente já deixou de contar quantas vezes ouviu os chavões “você é o que você come” ou “a saúde começa pela boca”.

Ora, nada mais parcial. Por quê?

Sem uma boa digestão, o alimento simplesmente não é absorvido de forma adequada pelo organismo, e “o que você come” passa pelo tubo digestivo sem maiores contribuições para a sua saúde. É sobre este assunto que falaremos neste artigo.

Poderíamos transformar as frases acima em: “você é o que você digere”, ou ainda: “a saúde começa pela digestão”.

Acha exagero?

Leia este artigo até o final, e você provavelmente descobrirá como um funcionamento restrito, não pleno, do tubo digestivo, pode estar prejudicando a sua saúde e a sua qualidade de vida sem nem que você se dê conta.

O que é desintoxicação do organismo

A desintoxicação do organismo – ou Detox, um termo muito usado nos dias de hoje – é a capacidade de ajudar o nosso corpo a pôr para fora toda a sujeira que o polui.

Essa sujeira são toxinas, bactérias ruins, vírus, parasitas, que entram no nosso organismo de diversas formas, tais como: os alimentos que ingerimos, a água que tomamos, os cosméticos que usamos (sim, infelizmente a maior parte dos cosméticos que usamos contêm toxinas), e até o ar que respiramos, geralmente muito poluído nas grandes cidades.

Existem também toxinas que são chamadas de “subprodutos” do nosso metabolismo, pois o corpo é uma máquina que está o tempo todo em combustão, e fabrica toxinas como resultantes desse processo.

Para pôr para fora todo esse “lixo”, nosso organismo possui alguns mecanismos, como suor, respiração (expiração), urina, fezes e menstruação, no caso das mulheres.

Só que nem sempre esses mecanismos conseguem realizar o processo de desintoxicação de forma completa, sobretudo nos dias de hoje, com tantos produtos alimentícios industrializados, tantos cosméticos tóxicos e tanta poluição nas águas e no ar.

É preciso ajudar o nosso organismo a realizar esta faxina interna, para que ele se livre das toxinas e possa funcionar de forma plena, nos presenteando com a verdadeira Saúde.

Esta faxina interna se chama desintoxicação, destoxificação, ou simplesmente “detox”.

O verdadeiro Detox

Se você procurar por Detox na internet, encontrará muitas receitas de sucos, chás, e alguma teoria a respeito da “faxina interna” do organismo.

O verdadeiro Detox é muito mais do que isso.

Ele é um processo intenso que dura, em média, um mês, e deve ser realizado uma vez por ano, para manter o seu corpo sempre limpo e afastado de qualquer tipo de doença.

Quando você entende o que é o verdadeiro Detox, entende também em que medida a nossa Medicina Ocidental não cura, apenas trata sintomas. É uma Medicina focada na Doença, e não na Saúde. É muito importante entender esta dimensão.

Muitos sistemas filosóficos e medicinais, nos mais variados tempos e nos mais diversos lugares, entenderam como um ritual de desintoxicação do organismo, realizado em períodos pré-definidos por cada uma dessas filosofias, é fundamental para a Saúde.

Pode-se dizer que as pessoas que buscam o verdadeiro Detox – e não apenas algumas receitas de chás e sucos que não atingem a origem do problema — buscam também a Saúde Integral, todos os dias do ano.

Está interessado no conteúdo? Cadastre seu e-mail abaixo para receber em primeira mão os artigos e novidades do blog!

Conteúdo exclusivo

Cadastre o seu melhor email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do Panelas de Gaya!>

Seguindo um protocolo de desintoxicação

Não cabe, neste artigo, expor todo um protocolo de desintoxicação do organismo – existem muitos, cada sistema filosófico e medicinal tem o seu, ou os seus – e o ideal é que um protocolo de desintoxicação seja feito com acompanhamento de um profissional da área (médico ou nutricionista).

Aqui, quero apenas mostrar em que medida as toxinas internas, bactérias ruins e parasitas e vírus diversos podem estar prejudicando a sua Saúde e propiciando um ambiente favorável ao aparecimento de doenças, mesmo que você não esteja doente agora.

São quatro os principais órgãos onde a faxina interna atua:

  • Rins
  • Intestinos
  • Fígado
  • Sistema nervoso

O protocolo de desintoxicação que eu sigo atua uma semana em cada um desses órgãos, totalizando quatro semanas, ou um mês.

Os rins

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, os rins são a “casa da Energia Vital”, a morada do “Chi” – aquilo que diferencia um corpo vivo de um cadáver.

Os rins fazem parte tanto do sistema urinário quanto do sistema endócrino, e têm as funções de filtrar o sangue, regular o sistema urinário e produzir hormônios.

O resultado destes processos é a urina, um dos mecanismos que nosso corpo possui para eliminar poluentes e químicos da corrente sanguínea para fora do corpo.

Também são os rins que eliminam todas as toxinas processadas pelo fígado. Quando sobrecarregados de toxinas, os rins ficam lentos e perdem energia, o que pode levar a estados de cansaço, dispersão, estagnação e medo.

O medo é a principal emoção negativa ligada aos rins e seu órgão complementar, a bexiga. É por isso que perdemos o controle da bexiga e literalmente urinamos quando estamos em situações de perigo e muito medo.

Por outro lado, quando os rins estão desobstruídos, a Energia Vital flui com abundância pelo sistema, e isso estimula sensações de calma, criatividade, destemor e persistência.

No entanto, em uma pessoa que vive o estilo de vida considerado comum, os rins normalmente estão sobrecarregados com resíduos de água impura, excesso de proteína, restos metabólicos, ácido úrico, cristais de oxalato e outros.

Estes resíduos vão se acumulando e se cristalizam nas superfícies internas dos rins. Às vezes, eles vão crescendo até se transformarem em pedras – também chamadas de cálculos renais.

Não é à toa que os casos de pedras nos rins não cessam de aumentar.

Existem chás específicos que dissolvem estas pedras, no entanto, uma boa atitude a se tomar é beber bastante água pura durante o dia e retirar da alimentação rotineira refrigerantes e sucos artificiais.

Intestinos

Você sabia que cada órgão do nosso corpo nasce, durante a gestação, a partir de certas áreas do nosso intestino (e do fígado também, do qual falaremos no próximo tópico)?

Se a vida começa no intestino, não é à toa que um ditado antigo da Medicina Natural diz que “a morte começa no cólon”.

O cólon faz parte do intestino grosso (esse tubo mais grosso que aparece na figura, e que envolve o intestino delgado), e pesquisas apontam que 95% das doenças começam nesse órgão de eliminação.

Além de ser a morada da Vida (ou da Doença, caso você não cuide bem dele), o intestino também possui muitos neurônios e é chamado por alguns pesquisadores de “segundo cérebro”, tamanha a ligação com esse órgão.

Você já deve ter percebido como você – ou aqueles perto de você – fica de mau humor quando o intestino não funciona bem. Os sintomas podem ser muitos: dores de cabeça, nervosismo, ansiedade, apenas para citar alguns.

Não é coincidência, e o contrário também é verdadeiro. Os intestinos produzem grande parte da serotonina, o hormônio da felicidade e do prazer. Portanto, não se surpreenda se você sai feliz da vida depois de uma bem-sucedida ida ao banheiro. 🙂

É realmente incrível como o bom funcionamento dos intestinos influencia a capacidade do cérebro. Raciocínio, foco, memória, sensibilidade, criatividade, todas estas características estão ligadas ao bom funcionamento do seu intestino.

Infelizmente, com o modo de vida atual, os intestinos estão cada vez mais obstruídos, pois recebem muito mais toxinas do que são capazes de expelir.

O problema não está apenas nos industrializados, mas também em proteínas ruins, como o glúten (a proteína do trigo, um alimento amplamente consumido nos dias de hoje).

Estas toxinas em excesso vão se acumulando nas paredes dos intestinos e modificando o comportamento delas. As consequências são constipação, inflamações diversas e intoxicação crônica.

Em um intestino saudável, as paredes absorvem apenas os nutrientes que o corpo irá usar, e eliminam o resto. Nos intestinos da maior parte das pessoas atualmente, as paredes já cheias de lixo acumulado “vazam” componentes, muitas vezes tóxicos, que não deveriam passar para o resto do nosso corpo.

Esses componentes ruins podem ser fungos, bactérias ruins, parasitas, metais pesados etc.

E assim as doenças começam a se instalar no nosso organismo.

A boa notícia é que é possível reverter esse processo. Alimentar-se de forma natural, praticar exercícios físicos e realizar de tempos em tempos uma limpeza dos intestinos pode fazer você alcançar potencialidades que jamais imaginou.

Fígado

O fígado (liver, na imagem, que está em inglês) é o segundo maior órgão do nosso corpo, ficando atrás apenas da pele.

Ele é também chamado de “O General”, tamanha a importância das funções que ele regula no nosso organismo. Entre essas funções, está a de filtrar o sangue e também de processar todas as toxinas que entram no nosso corpo, por diversas vias.

Este órgão também processa as toxinas produzidas pelo nosso próprio metabolismo, resultantes de processos metabólicos diversos.

É o fígado quem produz a bile, a substância que digere as gorduras, e é ele também quem armazena e metaboliza as vitaminas.

O fígado é um dos últimos – senão o último – órgãos a morrer. Ele resiste até o final de suas forças. É justamente por ele ser tão poderoso, por resistir tanto, que não nos damos conta quando o fígado tem o seu potencial prejudicado.

Nós não sentimos nada, mas o nosso fígado, sobretudo nos dias de hoje, não funciona em sua plena capacidade. Está debilitado.

Isto acontece, pois é ele quem recebe essa quantidade exacerbada de toxinas da era moderna: produtos industrializados, cosméticos, produtos de limpeza, poluição do ar, água contaminada, cigarro, álcool, agrotóxicos, só para citar alguns.

Estas toxinas em excesso (que foram “vazadas” pelos intestinos) vão se acumulando no fígado e formando pedras. Estas pedras normalmente são formadas por compostos tóxicos aprisionados dentro de depósitos de bile endurecida e são chamadas de cálculos biliares.

A vesícula, que é o órgão auxiliar do fígado, é a primeira a acumular cálculos biliares, e hoje em dia é muito comum o processo cirúrgico de remoção de vesículas.

A Medicina Ocidental não contempla a integridade dos órgãos, e não considera a possibilidade de retirada das pedras sem a retirada da vesícula.

As pedras do fígado são muito mais difíceis de detectar em exames. Mas um processo natural de limpeza do fígado pode removê-las sem maior desconforto.

Apesar de desconhecido dos nossos dias, é um procedimento simples e que restaura o equilíbrio do organismo de forma maravilhosa.

Metais pesados (sistema nervoso)

Por conta de nosso estilo de vida moderno, temos contato frequente com:

  • alumínio
  • mercúrio
  • flúor
  • arsênico
  • chumbo
  • cobre

Além de outros metais pesados. Eles estão nas panelas que utilizamos, na água que bebemos, nos cosméticos que usamos, no ar que respiramos (saem dos escapamentos dos carros, por exemplo), nos encanamentos que transportam a nossa água, em amálgamas metálicos colocados nos dentes.

Metais pesados são extremamente tóxicos, principalmente para o sistema nervoso, podendo provocar quadros de demência, Alzheimer, entre outros males.

O mercúrio dos amálgamas, por exemplo, se converte em metilmercúrio pelas bactérias, uma neurotoxina muito nociva para o organismo.

Contudo, é também possível realizar uma limpeza interna dos metais pesados.

Eu descobri como realizar estas limpezas internas no curso online Coma Fora da Caixa, criado por Flávio Passos.

Caso tenha interesse em conhecer o ótimo trabalho dele, cadastre seu e-mail abaixo, para receber em primeira mão as novidades e inscrições para a próxima turma do curso!

Clube VIP

Insira o seu endereço de email abaixo para receber em primeira mão as inscrições para a próxima turma do Coma Fora da Caixa!>

Summary
Review Date
Reviewed Item
True Detox
Author Rating
51star1star1star1star1star