Conheça os benefícios do açúcar mascavo… e diga adeus definitivo ao açúcar refinado!

Tempo de leitura: 13 minutos

 

Você provavelmente já ouviu falar que açúcar faz mal, que açúcar engorda, que açúcar deve ser consumido com moderação.

Isso tudo é verdade, e, neste artigo, nós vamos entender por quê.

O primeiro passo é ter em mente que, para ganhar mais Saúde, a quantidade diária de açúcar que você ingere deve ser a menor que você consegue, dentro das suas possibilidades.

Se diminuir a quantidade de açúcar na rotina é algo impensável para você atualmente (lembre-se: hábitos alimentares são criados e podem ser transformados), existe uma forma de você continuar consumindo açúcar e mesmo assim não deixar a Saúde de lado.

Você já deve estar imaginando como, não é?

Pois é, há, sim, muita diferença entre o açúcar branco e o açúcar mascavo. Um é muito melhor do que o outro.

Existe também uma atitude na qual eu acredito e a qual eu pus em prática antes de suprimir o açúcar da minha rotina. É a atitude de realizar pequenas trocas alimentares no dia a dia.

Isto quer dizer que você não precisa suprimir de vez um alimento de sua dieta – esta atitude nem é boa, caso você queira emagrecer ou ganhar mais Saúde.

Adicionar alimentos saudáveis à rotina ou realizar pequenas trocas alimentares é uma atitude bem mais inteligente.

Se o alimento em questão é o açúcar, você pode, por exemplo, substituir o açúcar refinado por mascavo. Aos poucos, se preferir.

Foi exatamente isto o que eu fiz, antes de começar a tomar café sem açúcar: passei do refinado para o mascavo, e do mascavo para o café puro.

Este processo levou um tempo, claro. Mas é um caminho sem volta. 🙂

Por que o açúcar faz mal ao seu organismo

acucar branco_otAntes de mais nada, é preciso entender por que o açúcar é considerado vilão.

Em grande parte, é porque ele está presente na maioria dos produtos industrializados, como refrigerantes, sucos, bolos, pães, bolachas recheadas e doces industrializados em geral.

Retirar da sua rotina esses produtos industrializados é um grande – senão o maior – bem que você pode fazer à sua Saúde.

Contudo, mesmo natural, o açúcar provoca algumas reações no nosso organismo que não são tão legais, e por isso é bom mesmo consumi-lo com moderação.

Isso não significa que você deve deletar o açúcar da vida. Eu mesma não deixo de fazer um bolo ou uma sobremesa quando quero um pouco de conforto.

Veja aqui as minhas receitas prediletas de doces saudáveis.

Mas vamos às reações maléficas do açúcar no organismo. Vou listar aqui cinco que considero mais importantes:

Predispõe o organismo a diabetes do tipo 2

Açúcar, como você deve saber, é composto de glicose, uma fonte de energia que é rapidamente usada e absorvida pelo nosso corpo.

O hormônio responsável por colocar a glicose na nossa corrente sanguínea é a insulina, e o órgão que produz insulina é o pâncreas.

A insulina leva a glicose para diversas partes do nosso corpo, para que possamos usá-la como energia para nossas atividades do dia a dia.

Assim que ingerimos açúcar, a insulina é ativada. Em grandes quantidades, já que o açúcar tem bastante glicose. Este processo gera os famosos “picos de insulina no sangue”.

Se você ingere açúcar várias vezes ao dia, você provoca no seu organismo esses picos de insulina várias vezes ao dia, e isso pode — a longo prazo — tornar as suas células resistentes à insulina ou sobrecarregar o pâncreas, que passa a não produzir mais insulina.

Quando uma dessas duas situações acontece, você adquire diabetes do tipo 2 – a diabetes é a doença na qual o corpo não produz insulina ou é resistente a ela.

Predispõe à obesidade

Seguindo a lógica do tópico anterior, se o seu corpo recebe muita glicose e não consegue usar a totalidade dela – o que ocorre na maioria das vezes em que ingerimos açúcar ou qualquer outro alimento refinado -, o nosso corpo ativa mecanismos para estocar essa glicose.

A insulina é, novamente, o hormônio responsável por estocar a glicose no nosso corpo. E sabe onde ela vai estocar?

Em tecidos adiposos, isto é, tecidos de gordura.

É por isso que o consumo de açúcar e de alimentos refinados é a principal causa de obesidade nos dias de hoje.

Diminuir o consumo de açúcar e de trigo e aumentar o consumo de alimentos verdes e de gorduras boas é uma das maiores felicidades que você pode dar a você mesmo.

Veja neste artigo como fazer isso.

Aumenta a acidez do sangue

O açúcar é um alimento muito ácido. Por outro lado, quanto mais alcalino for o pH do nosso sangue, mais saudáveis estamos.

Quando consumimos açúcar, tornamos nosso pH do sangue mais ácido. Acontece que o pH do nosso sangue é extremamente controlado pelo nosso organismo. O nosso metabolismo ativa processos para tornar o pH do sangue regulado novamente.

Um desses processos consiste em retirar cálcio — um mineral bastante alcalino — de nossos órgãos, a fim de baixar a acidez que o açúcar produz.

Ou seja, o açúcar é um alimento que desmineraliza nosso organismo.

Células ácidas também são mais predispostas a desenvolver câncer. Portanto, o açúcar é um alimento que pode nos predispor ao desenvolvimento deste mal.

Vicia

Além de desequilibrar inúmeros processos metabólicos do nosso organismo, o açúcar também vicia. Estudos científicos já comprovaram isso.

Isto acontece, porque o açúcar atua em uma região do cérebro responsável pela sensação de “alegria instantânea”. Não é à toa que, quando ingerimos açúcar, sentimos uma grande felicidade, seguida de um momento de tristeza ou “depressão”, se preferir. O açúcar também desregula a região do cérebro responsável pelo controle da fome.

Isto se traduz na seguinte sensação: quando você come doce, você quer cada vez mais comer doce. Enquanto você come doce, você sente muito prazer. Quando o doce acaba, você sente culpa ou tristeza, e também abstinência.

Eu já passei várias vezes por isso: quando comia doce todo dia, depois de alguns dias, sempre no mesmo horário, sentia vontade de comer aquele mesmo doce.

Nessas ocasiões, eu tomava um copo de água — ajuda muito, pois o centro de sede e o centro de fome estão um lado do outro no cérebro, e um pode bloquear o outro – e também pensava que eu era mais forte que o açúcar.

Conseguia parar de comer o doce. Depois de uns dois dias, tudo se normalizava. Aquela vontade de doce simplesmente desaparecia. É realmente incrível.

Quer dizer, na verdade, é o açúcar atuando — ou não atuando — nessa região, que fica no nosso sistema nervoso central.

Eu sei que é uma tarefa árdua regular todos os processos desregulados pelo açúcar.

Mas é possível. E gratificante.

Você topa o desafio?

Se sim, saiba que o Panelas de Gaya se propõe a te ajudar nessa jornada. Basta cadastrar o seu e-mail no campo abaixo, para receber em primeira mão todos os artigos e novidades do blog. É totalmente grátis!

Conteúdo exclusivo

Cadastre o seu melhor email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do Panelas de Gaya!>

Açúcar e seus nomes

Bem, se você topou o desafio, eu queria antes que você soubesse que o açúcar tem vários nomes estampados nos produtos industrializados.

Como eu disse, não costumo consumir esses produtos, mas acho importante divulgar esse tipo de informação.

Então, para você não cair na cilada de ingerir açúcar sem saber que está ingerindo, reproduzo aqui uma lista feita pela culinarista Pat Feldman com os vários nomes do açúcar nos produtos industrializados.

Você também pode acessar esta lista na íntegra no próprio blog da Pat, cuja leitura eu recomendo fortemente. 🙂

Vamos a ela:

  •     Sacarose (o açúcar branco popular)
  •     Xarope de milho com alto teor de frutose
  •     Agave
  •     Caramelo
  •     Xarope de alfarroba
  •     Açúcar de tâmara
  •     Açúcar evaporado
  •     Concentrado de fruta
  •     Açúcar de uva
  •     Açúcar invertido
  •     Xarope de bordo (maple syrup)
  •     Caldo de cana concentrado
  •     Malte de cevada
  •     Xarope de arroz
  •     Xarope de milho
  •     Dextrina
  •     Dextrose
  •     Maltodextrina
  •     Glucose
  •     Lactose
  •     Xarope de malte
  •     Frutose
  •     D-ribose
  •     Galactose

Como você pode ver, existe uma infinidade de nomes para o açúcar industrializado.

O processo de industrialização retira do açúcar quase 100% dos seus nutrientes.

O açúcar branco, resultado de processos industriais, não tem nada a ver com rapadura. Mas é este produto alimentício extremamente pobre em nutrientes que é consumido, todos os dias, pela maioria dos brasileiros.

Açúcar mascavo: a melhor escolha

Você ainda duvida que o açúcar branco quase não tem nutrientes?

Então, dê uma olhada nesta tabela comparativa:

tabela nutricional açúcar_ot
Fonte: Agência Embrapa de Informação Tecnológica

O açúcar branco refinado só serve para engordar, sem levar nada de bom ao seu organismo.

A rapadura e o melado de cana, ao contrário, possuem vitaminas e minerais. Ele são tipos saudáveis de açúcar, porque não sofreram processos químicos que tiraram deles nutrientes ou alteraram a sua composição. São produtos artesanais e, por isso mesmo, são bons produtos para adoçar o seu café ou qualquer prato ou sobremesa.

Em minha cozinha, eu utilizo estes dois produtos – além de stévia, xylitol e açúcar de coco – para adoçar pratos e bebidas.

Você também pode esquecer os adoçantes artificiais.

A famosa rapadura
A famosa rapadura, adoro!

Caso vá utilizar açúcar mascavo, fique atento. Hoje em dia, muitas empresas que comercializam açúcar mascavo utilizam processos químicos em sua produção. Inclusive, algumas empresas fazem açúcar mascavo a partir do açúcar branco refinado!

Elas simplesmente pegam as sobras do processo de refinamento do açúcar, misturam com açúcar branco refinado, empacotam e dizem que é açúcar mascavo.

Por isso, eu recomendo que você compre rapadura, no lugar do açúcar mascavo empacotado. Basta ralar a rapadura.

Uma alternativa: açúcar de coco

Fiz uma foto comparando açúcar mascavo, à esquerda, e açúcar de coco, à direita
Fiz uma foto comparando açúcar mascavo, à esquerda, e açúcar de coco, à direita

O açúcar de coco é outra ótima alternativa para você substituir o açúcar branco refinado.

Ele é um produto natural rico em potássio, magnésio, zinco, ferro e vitaminas.

Além disso, tem baixo índice glicêmico, isto é, ajuda a liberar lentamente o açúcar no sangue.

Você pode encontrá-lo em feiras, sacolões e lojas de produtos naturais.

No entanto, se realmente for atrás do produto, você logo verá que o açúcar de coco não é tão barato quanto rapadura. Apesar de caro, ele rende bastante. Afinal de contas, açúcar deve ser consumido com moderação, não é mesmo?

Receita de Brownie de Chocolate Low Carb

Ainda tem medo de usar açúcar mascavo ou açúcar de coco em suas receitas?

Então, eu vou te ajudar.

Primeiramente, gostaria de indicar o livro digital:

Você vai achar neste ebook muitas receitas ótimas de doces, além de pratos salgados extremamente saudáveis.

Para comprovar que as receitas são maravilhosas, vou compartilhar uma delas aqui com você. A receita de brownie de chocolate low carb é uma de minhas receitas prediletas, fácil de fazer, deliciosa e totalmente saudável.

 

Se possível, consuma o brownie (e doces em geral) acompanhado de um chá verde, pois o chá verde ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

Vamos lá:

Ingredientes

  • 2 ovos
  • 1 xícara de farinha de amêndoas (basta triturar as amêndoas no liquidificador ou processador)
  • 2 colheres de sopa de farinha de castanha do pará (idem)
  • 1 colher de sopa de amêndoas laminadas ou em pedaços
  • 2 colheres de sopa de macadâmias, nozes, castanhas de caju e/ou avelã picadas
  • 4 colheres de sopa de açúcar de coco ou açúcar mascavo
  • 3 colheres de sopa de leite de coco (ou outro leite vegetal, exceto soja)
  • 2 colheres de sopa de óleo de coco
  • 1 colher de sopa de cacau em pó sem açúcar
  • 1 colher de café de fermento químico em pó

Modo de preparo

  • Pré-aqueça o forno a 200°C
  • Em uma tigela grande, misture os ovos, as farinhas, o açúcar de coco, o leite, o óleo de coco e o cacau
  • Depois de obter uma massa homogênea, acrescente as amêndoas e as outras oleaginosas e, por último, o fermento
  • Mexa delicadamente até incorporar
  • Despeje a mistura em uma forma pequena de silicone ou forma untada com óleo de coco
  • Asse por aproximadamente 20 minutos

Se quiser mais cremoso por dentro, faça o teste do palito e, neste caso, ele deve sair um pouco sujo.

Recapitulando…

Hábitos alimentares são transformações do dia a dia. É claro que você vai estranhar passar do açúcar branco para o açúcar mascavo ou de coco – eu também estranhei quando fiz isso.

O mais importante é que eu dei o primeiro passo, eu quis mudar, e eu perseverei na mudança. Leva um tempo, mas, hoje, não consumo mais açúcar branco, e quase não consumo açúcar mascavo ou de coco. Quando quero comer algum doce, faço uma das receitas do livro da Carla.

Portanto, lembre-se: não se trata de suprimir hábitos, mas de modificá-los aos poucos.

No começo pode ser difícil, mas eu tenho certeza de que, a médio e longo prazo, seu corpo vai te recompensar e você se sentirá muito melhor.

Se ficou alguma dúvida ou se você tem alguma sugestão, deixe um comentário abaixo. Ficarei feliz em responder! 🙂

 

 

 

 

Summary
Review Date
Reviewed Item
Doces Sem Culpa
Author Rating
51star1star1star1star1star
  • Fabiane Jung

    Faz um bom tempo que uso somente açúcar mascavo no café 🙂 e qdo vou em algum lugar que não o oferecem e acabo tendo de usar o branco, sinto muita diferença. Para mim, o açúcar mascavo é mto mais saboroso!

  • Fabiana Nano

    Obrigada, Lu! Também adoro o mascavinho hehe
    Bjs

  • Lucila Pesce

    Nada como o mascavinho,né? Quantas informações excelentes e esclarecedoras sobre o tema! Muito obrigada, Fabi, e parabéns pelo artigo!

  • Fabiana Nano

    Oi, Pri, tenho o mesmo problema. A consistência do bolo fica diferente mesmo. Essa semana quero testar o bolo com açúcar de coco, para ver se fica fofinho. Vou te avisando, bjs!

  • Fabiana Nano

    hahahaha é isso aí!

  • Percebi que adoça menos, sim. Até fiquei com medo de ter colocado açúcar demais, mas foi na medida certa. Meu marido ficou com inveja e logo depois fez um pra ele também, adorou! hahaha 🙂

  • Fabiana Nano

    Olá, Mayara,

    Fico muito feliz! Você deve ter percebido que o açúcar mascavo adoça menos que o branco, né?
    Isto é ótimo, pois assim nosso paladar viciado em açúcar vai voltando a sentir o gosto dos alimentos.
    Tanto que quem toma café sem açúcar não consegue voltar atrás, não é mesmo?
    São testes alimentares que vamos fazendo, e a gente vai se habituando aos poucos.

    Bjs!

  • Fabiana Nano

    Hahahaha normal! É tudo novidade! Bjs

  • Após ler o artigo, fui olhar a embalagem do açúcar mascavo que tenho aqui. Fiquei feliz em descobrir que ele não passou pelo processo de refinamento e é livre de qualquer aditivo químico.

    Então, empolgada com o que aprendi, resolvi fazer um chá e adocei com esse açúcar mascavo, algo que jamais havia pensado em fazer.

    QUE DELÍCIA!!!!

    Às vezes, os que nos falta é aquele empurrãozinho para uma mudança de hábitos.

    Obrigada, Fabiana, por compartilhar seus conhecimentos e por ajudar nessa mudança de paradigma!

    Ansiosa pelo próximo artigo desde já!

    Beijos,
    Mayara

  • Gilda Assad

    Bom isso é para você ver como sou antiga!…rs
    Obrigada.
    bjs

  • Fabiana Nano

    Eba!
    O livro é digital. Não chega pelo correio, chega no seu e-mail.
    Bjs

  • Gilda Assad

    Fabiana, mais um artigo instrutivo e esclarecedor. Não gosto muito de doces e já faz tempo que consumo o açúcar mascavo , quanto ao refinado não entra mais em casa.. Atualmente estou me deliciando com a rapadura , de fato é muito saborosa.
    Fiquei tão interessada no livro de receitas que você indicou que resolvi comprá-lo.
    Estou aguardando a entrega pelo correio e ansiosa para experimentar as receitas.
    Obrigada por mais essa dica.
    Um abraço
    Gilda

  • Fabiana Nano

    Oi, João!
    Obrigada pelo super comentário!
    Fiquei morrendo de vontade de fazer esse queijo coalho com melado, hmmm!
    Então, eu sei que é trabalhoso fazer isso com a rapadura. Eu mesma às vezes compro o mascavo no supermercado, pela praticidade.
    Não sei indicar alguma marca boa (ainda estou buscando), o que sei é que o açúcar mascavo, para ser bom, tem que ser meio grudento. Se o açúcar mascavo for muito soltinho, desconfie.
    E o açúcar de coco tem um gosto totalmente diferente, você verá!
    Bjs

  • Fabiana Nano

    Oba, que bom! 🙂

  • João Flávio Xavier

    Adorei o artigo Fabiana (quero dizer ‘mais’ esse artigo).
    Eu tenho criado o hábito de usar o açúcar demerara, pois, comparando-o com o mascavo, ele é mais ‘prático’. E eu pensei que fossem quase a mesma coisa (rss). Mas vai ser fácil voltar para o mascavo.
    Por falar em melado (que aqui no nordeste é o ‘mel de engenho’), você já experimentou ele sobre uma fatia grossa de queijo coalho bem assadinha? huummm…
    Bem, ficou uma dúvida: mesmo estando morando aqui em Maceió, não é tããão fácil encontrar rapadura. Além disso, dá um certo trabalho ‘processá-la’ em casa. É mais fácil comprar o pacote pronto mesmo. Mas, você saberia como distinguir de alguma forma o açúcar mascavo ‘comercial’ mais indicado? Poderia indicar alguma marca?
    Ah, e vou experimentar o açúcar de coco. Fiquei curioso.
    Abraço!

  • Oi Fabiana! Que delícia de artigo! 🙂
    Gostei da sua dica do chá verde para ajudar a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Não sabia!

    Obrigada!